segunda-feira, 1 de julho de 2019

Deputado Wellington discute melhorias para o Coroadinho durante audiência sobre falta de água no bairro.


Resultado de imagem para wellington do curso coroadinho


Ao participar de audiência pública organizada pela Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa na tarde da última terça-feira (25), no bairro do Coradinho, o deputado estadual Wellington do Curso discutiu ações para garantir melhorias no abastecimento de água local. Participaram também da audiência o deputado estadual Duarte Júnior, presidente da Comissão; o engenheiro da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (CAEMA), Cristovam Filho; o diretor de Operação e Manutenção da Caema, Leonardo Lima; o pesquisador da área de Saneamento e funcionário da Caema, Marcos Silva; o chefe do Setor Jurídico do Instituto de Promoção e Defesa do Consumidor do Maranhão (PROCON/MA), Marcos Lima, e a secretária de Estado Extraordinária da Juventude, Tatiana Pereira.

Ao ouvir as demandas expostas por moradores, o deputado Wellington propôs a formação de uma comissão de acompanhamento contínuo das atividades, a fim de aproximar população e Assembleia Legislativa.

“Trata-se de um polo que reúne mais de 150 mil habitantes, engloba 32 bairros, e que está totalmente esquecido pelo poder público. Aqui, temos problema não só de falta de água, mas de drenagem, do esgoto correndo in natura para a barragem do Bacanga. São procedimentos que precisam ser alertados ao poder público. Vamos cobrar ações efetivas do Poder Executivo e é importante que exista essa proximidade entre a população e a Assembleia Legislativa”, afirmou o deputado Wellington.

Após a audiência, foram elencados alguns encaminhamentos, sendo eles  a criação de um Grupo de Trabalho para monitorar as ações a serem desenvolvidas pelos órgãos públicos e ouvir a comunidade; a formalização das denúncias junto aos órgãos públicos de âmbito estadual e municipal e, ainda, prestar contas à comunidade das providências adotadas dia 18/07/2019.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Triste coincidência... Morte covarde de morador revela tragédia em família.

Foto - Coroadinho on line.
Em 2015, o frentista Edmilson Pereira, o "Preto", morto ontem, teve o sobrinho também assassinado - no mesmo local, da mesma forma.
Welton Carlos, de 32 anos, havia acabado de chegar do Rio de Janeiro e foi morto por engano. Anos antes, o pai de família havia perdido também a irmã, após um acidente.

Foto - Coroadinho on line.
É com os sentimentos de dor e desespero que se encontra a família de Edmilson Pereira, morto na noite de ontem (16) enquanto aguardava um lanche na praça do Viva, na Vila São Sebastião, alto do Coroadinho.
"Preto", como era carinhosamente chamado pelos amigos e parentes, tinha 34 anos, e foi a vítima mais recente da guerra entre facções que vem atingindo também inocentes no bairro da periferia da capital. O morador era natural de São Vicente de Férrer e trabalhava atualmente como Frentista de posto de combustível.

Foto - Coroadinho on line.
Ainda jovem, ele deixou o interior para vir tentar a vida em São Luís, onde morou primeiramente com irmã. Esta mesma irmã (foto) que ele perderia mais tarde, tragicamente, em um acidente automobilístico no Coroadinho.

Depois de um tempo fora, Edmilson voltou para o Coroadinho, onde construiu família e se tornou pai de quatro filhos, que agora os deixa, tristemente. 
Segundo a família, ele era também muito apegado com os sobrinhos, que haviam ficado órfãos da mãe no ano de 2006. Mas, há apenas dois anos, a família do Frentista voltou a ser pega de surpresa com outro fato lamentável.
Durante a onda de violência que resultou na morte de criminosos e também de várias pessoas inocentes, em 2015, no bairro do Coroadinho, a família do trabalhador perdeu também um 'sobrinho', o jovem Welton Carlos, de 32 anos. Welton, que segundo a polícia, nada tinha a ver com a guerra entre facções, foi o alvo dos bandidos e morreu após ser alvejado na virilha, durante um ataque com as mesmas características do ocorrido ontem.
Welton havia acabado de chegar do Rio de Janeiro, de onde tinha vindo comemorar o aniversário com a família... Já, Edmilson (o Preto) comemoraria o seu no próximo sábado.
Não fosse essa cruel e triste coincidência.


quinta-feira, 13 de abril de 2017

Há um ano era assassinado o Irmão do Coroadinho, crime continua sem solução.

Foto - O Coroadinho on line.
Reproduzo aqui homenagem feita pelo Coroadinho on line no facebook, recordando que neste dia 13 de Abril de 2017, completa um ano da morte de uma das figura humana mais querida do Coroadinho
Tratava-se de José da Conceição Pereira, o "Irmão do Coroadinho", que em vida, foi um aguerrido militante social atuando nas lutas comunitárias do bairro; teve sua vida tirada naquela noite fria; crime continua sem solução.
Era noite de quarta-feira com clima de chuva, em 13 de abril de 2016, no Sítio do Pica Pau Amarelo, nos arredores do Alto Bela Vista, o conhecido "Morro do Zé Bombom", quando, sem chances de defesa, um disparo foi feito contra a vida de José da Conceição Pereira, o popular "Irmão do Coroadinho".
O líder comunitário estava só em casa e, para a polícia, foi executado por um homem que invadiu sua casa após pular o muro e entrar pelas portas do fundo. Irmão, que estava de costas, distraidamente, assistia a um jogo de futebol no momento do crime. A morte dele abalou o Coroadinho. O caso logo ganhou destaque em toda a impressa.
Ele era o terceiro líder comunitário morto em um ano na região, tendo recebido várias ameaças nos últimos meses. Zé Conceição tinha 58 anos e um histórico de envolvimento com a comunidade.
Carroceiro que era, conhecia cada entrave que permeava o bairro. Foi protagonista de documentário da TV Brasil que mostrava a vida em guetos brasileiros e, mesmo sem nenhuma instrução e sem saber escrever, mostrava grande conhecimento das causas sociais. 
Chegou a ser candidato a Vereador na comunidade, após tornar-se conhecido no hospital do Coroadinho, onde trabalhou por muito tempo como Zelador. Alí ajudou muita gente, ganhando o carinho de centenas... O prefeito da cidade esteve em seu velório e, depois, o corpo dele foi levado para Anajatuba.
Passado um ano de sua morte, as motivações nunca foram de todo esclarecidas. Um homem chegou a ser preso, mas, segundo a polícia, ficou apenas como suspeito. Nada foi levado da casa.
....
Irmão ficará para sempre na memória desse povo.

domingo, 12 de março de 2017

O Bancário Nodson Serra Souza, de 28 anos, morador do bairro Coroadinho morre em acidente no bairro Ipase na madrugada deste domingo.


O bancário Nodson Serra Souza, de 28 anos, morador do bairro Coroadinho, morreu na madrugada deste domingo (12) em acidente automobilístico grave, na entrada da Ponte do Caratatiua, no bairro Ipase, em São Luís.


Nodson trabalhava nas agências do Banco Bradesco, em São Luís. Segundo informações, ele teria perdido o controle do veículo, um Corolla, e se chocado contra uma estrutura de concreto na cabeceira da ponte, sentido Cohama/Alemanha, próximo a uma fábrica de pães.

Amigos disseram que o acidente teria sido por volta das 4h da manhã, uma vez que, até cerca de 3h30, ainda era possível ouvir áudios enviados por ele para um grupo de mensagens.

Nodson foi estudante da Fundação Bradesco, de onde saiu para trabalhar no banco, ainda adolescente.

Ele era casado e morador da Rua da Estrela, próximo a feira do Coroadinho. Era pai de dois filhos menores, um menino de 7 anos e uma ainda bebê, de 3 meses de idade.

A família de Nodson é residente na Rua São Bento, via localizada em frente ao antigo Galeto Quebra Galho, no Coroadinho, onde o corpo deve ser velado.

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

São Luís. Promotor vistoria escolas incendiadas por facções criminosas.

Objetivo foi verificar o andamento das obras de reforma

O promotor de justiça Paulo Silvestre Avelar Silva, titular da 1ª Promotoria de Justiça Especializada na Defesa da Educação de São Luís, esteve, na manhã desta segunda-feira, 24, em três das sete escolas incendiadas durante os ataques realizados por facções criminosas no final de setembro e início de outubro deste ano. O objetivo das visitas foi verificar o andamento das obras de recuperação das unidades de ensino.

Foram vistoriadas três escolas incendiadas por facções criminosas

A primeira visita foi à Escola Municipal de Ensino Fundamental Darcy Ribeiro, no bairro do Sacavém. Atacada em 29 de setembro, a escola teve três salas de aula queimadas e que estão em processo de recuperação. Apenas uma delas já está em funcionamento. De acordo com a equipe técnica da unidade, as aulas não chegaram a ser suspensas. Os alunos das duas salas ainda interditadas estão assistindo aulas nas salas antes destinadas à biblioteca e secretaria da escola.

Segundo o promotor, reformas precisam ser realizadas com mais agilidade
Já o anexo da Unidade de Ensino Básico João Lima Sobrinho, no Conjunto Dom Sebastião, teve apenas a secretaria e a sala dos professores atingidas pelas chamas, na manhã de 3 de outubro. Durante a visita, a equipe do Ministério Público não encontrou operários em atividade. A equipe da escola confirmou que os trabalhos seguiam regularmente até a última sexta-feira. Também não houve suspensão das aulas.

MPMA deverá discutir andamento das obras com secretário municipal de Educação
Na Vila Mauro Fecury I, a escola atingida foi a Carlos Saads, também em 29 de setembro, que teve três salas de aula incendiadas. As obras na escola estão adiantadas, com previsão de entrega total no dia 4 de novembro. De acordo com o diretor da escola, professor Santos, as aulas regulares não precisaram ser suspensas. O gestor ressaltou, também, a participação ativa da comunidade no combate ao incêndio, o que impediu danos ainda maiores.

Algumas unidades estão funcionando parcialmente
Outras duas escolas serão visitadas na tarde desta segunda-feira: o Anexo 2 da UEB Governador Leonel Brizola, na Vila Luizão, e a escola Ronald da Silva Carvalho, na Divinéia.

Prédios foram atacados no final de setembro e no começo de outubro
De acordo com Paulo Avelar, pôde-se verificar que as escolas estão sendo recuperadas, mas que os serviços precisam ser feitos com maior agilidade, a fim de garantir condições dignas de ensino às crianças. Os resultados das vistorias serão discutidos em uma reunião com o secretário municipal de Educação, Moacir Feitosa, ainda essa semana.

Redação: Rodrigo Freitas (CCOM-MPMA)

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Itinerâncias - Vereador Manoel Rego visita as Ruas da Mangueira e da Alegria no Coroadinho.

Foto - Vereador conversando com morador da Rua da Alegria.
Vereador Manoel Rego na manhã da ultima terça-feira (21), devido as notícias publicadas em vários blogs de São Luís, resolveu ir checar pessoalmente a situação de segurança dos trabalhadores e estudantes da Unidade de Ensino Básico Rubem Almeida, localizada na Rua da mangueira, no Bairro do Coroadinho, estando na referida escola no inicio da manhã de terça-feira.

Foto - Vereador Manoel Rego itinerância na Rua da Alegria.
A referida escola pertence a rede municipal de ensino, na ocasião o Vereador conversou com servidor lotado no referido estabelecimento de ensino e com pais de alunos que se encontravam próximos a referida escola.

Os pais confirmaram ao vereador que tem ocorridos atos de violência próximos da referida escola, mas ontem estava funcionando normalmente.
Vereador Manoel Rego.

Manoel Rego, se prontificou  a solicitar um reforço policial nas imediações da escola, pedindo inclusive que fique uma viatura fazendo ronda no local durante o período que estiver tendo aulas na escola.

Após conversar com populares em frente a Escola Municipal Rubem Almeida, o vereador se dirigiu a Rua da Alegria, atendendo a pedido de moradores que reclamaram da qualidade do serviços de pavimentação asfáltica que está sendo feito na área.


Na parte final da Rua da Alegria foi feito um serviço de aterramento e compactação do solo, deixando a área mais alta que o restante da rua, que não vem recebendo serviço de aterramento e nem compactação, desnivelando a rua, o que futuramente causará alagamentos das residências neste trecho da rua, motivo da preocupação dos moradores, o vereador comprometeu-se a intervir junto ao secretário da SEMOSP, para que o problema seja resolvido.

Texto de Francisco Barros.

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Publicada a lei nº 13.293, de 1º de junho de 2016. anistiando os Policiais Militares punidos por participar de movimentos reivindicatórios no Maranhão.


Transcrevemos abaixo o texto integral da referida lei publicada no ultimo dia 02 de junho de 2016, anistiando todos os policiais militares punidos por participarem de movimento reivindicatório em vários Estados brasileiros. 



LEI Nº 13.293, DE 1º DE JUNHO DE 2016.
Altera a Lei nº 12.505, de 11 de outubro de 2011, que “concede anistia aos policiais e bombeiros militares dos Estados de Alagoas, de Goiás, do Maranhão, de Minas Gerais, da Paraíba, do Piauí, do Rio de Janeiro, de Rondônia, de Sergipe, da Bahia, do Ceará, de Mato Grosso, de Pernambuco, do Rio Grande do Norte, de Roraima, de Santa Catarina, do Tocantins e do Distrito Federal punidos por participar de movimentos  reivindicatórios”, para acrescentar os Estados do Amazonas, do Pará, do Acre, do Mato Grosso do Sul e do Paraná.

O VICE-PRESIDENTE DA REPÚBLICA no exercício do cargo de   PRESIDENTE   DA   REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu promulgo, nos termos do parágrafo 5o do art. 66 da Constituição Federal, a seguinte Lei:

Art. 1o   A ementa e os arts. 1º e 2º da Lei nº 12.505, de 11 de outubro de 2011, passam a vigorar com a seguinte redação:  
Concede anistia aos policiais e bombeiros militares dos Estados de Alagoas, de Goiás, do Maranhão, de Minas Gerais, da Paraíba, do Piauí, do Rio de Janeiro, de Rondônia, de Sergipe, do Tocantins, da Bahia, do Ceará, de Mato Grosso, de Pernambuco, do Rio Grande do Norte, de Roraima, de Santa Catarina, do Amazonas, do Pará, do Acre, de Mato Grosso do Sul, do Paraná e do Distrito Federal.”  
Art. 1º É concedida anistia aos policiais e bombeiros militares que participaram de movimentos reivindicatórios por melhorias de vencimentos e condições de trabalho ocorridos:  
I - entre o dia 1º de janeiro de 1997 e a data de publicação desta Lei, inclusive, nos Estados de Alagoas, de Goiás, do Maranhão, de Minas Gerais, da Paraíba, do Piauí, do Rio de Janeiro, de Rondônia, de Sergipe e do Tocantins; 

II - entre a data de publicação da Lei nº 12.191, de 13 de janeiro de 2010, e a data de publicação desta Lei, inclusive, nos Estados da Bahia, do Ceará, de Mato Grosso, de Pernambuco, do Rio Grande do Norte, de Roraima, de Santa Catarina, do Amazonas, do Pará, do Acre, de Mato Grosso do Sul, do Maranhão, de Alagoas, do Rio de Janeiro, da Paraíba, do Paraná e do Distrito Federal.” (NR)  
“Art. 2º A anistia de que trata esta Lei abrange os crimes definidos no Decreto-Lei nº 1.001, de 21 de outubro de 1969 – Código Penal Militar, e na Lei nº 7.170, de 14 de dezembro de 1983 – Lei de Segurança Nacional, e as infrações disciplinares conexas, não incluindo os crimes definidos no Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940 – Código Penal, e nas demais leis penais especiais.” (NR) 
Art.  2º Esta Lei entra em vigor na data da sua publicação. 

Brasília, 1o de junho de 2016; 195o  da Independência e 128o  da República. 

MICHEL TEMER


Este texto não substitui o publicado no DOU de 2.6.2016.